Compartilhe:

Índice

Cultura Organizacional Saiba Tudo Sobre!

Índice

Você sabe a importância da sua empresa ter uma cultura organizacional? Ela é muito relevante para negócio, e deve estar atrelada a estratégia da sua empresa, e aos seus clientes.

Pessoas na sala de reunião conversando

Mas antes, conta para gente, sua empresa possui atualmente uma cultura organizacional? Caso você não saiba por onde iniciar esse processo, fiquei ligado nesse artigo que vamos te ajudar no passo a passo.

Nesse artigo vou te ajudar a entender o que é cultura dentro das empresas, sua importância, quais os tipos e como bônus vou mostrar algumas empresas que são referência quando o assunto é cultura organizacional.

O que é cultura organizacional?

Cultura organizacional de uma empresa (também chamada de cultura empresarial e corporativa) é o conceito que define a forma com que a organização conduz seus negócios e em como trata seus clientes e parceiros. E, nisso, envolve práticas, políticas e comportamentos que são reflexo da cultura.

Por exemplo, uma empresa de cosméticos que adota a política de não fazer testes em animais inclui essa prática em sua cultura organizacional. Até mesmo normas simples do dia a dia, como a existência ou não de um dress code, são parte do conjunto de práticas que formam a essência da organização.

Um grande desafio, nesse sentido, é tirar do papel e colocar em prática. Os comportamentos e valores desejados, quase sempre, são previstos em manuais de boas práticas ou planos para cultura organizacional, mas nem sempre eles se incorporam ao dia a dia.

Por que é importante ter uma cultura organizacional

A cultura organizacional é o reflexo da ética e da moral que a empresa possui, ela orienta de forma natural os caminhos a serem seguidos. É ela quem guia as decisões e prepara a empresa para o futuro.

Nada é mais frustrante para um funcionário que trabalhar em uma empresa que prega uma cultura organizacional moderna, mas no dia a dia a tal organização é tão burocrática quanto uma empresa conservadora.

Esse é o clássico caso de empresas que apesar de ter o conceito de cultura moderna, acaba não conseguindo implantá-la em sua empresa devido a divergência entre o planejado e o realizado.

Uma boa cultura pode motivar os funcionários e ajudá-los a crescer junto com os negócios, assim como uma cultura desorganizacional, pode acarretar problemas com produtividade, absenteísmo e rotatividade no ambiente de trabalho.

Como é formada a cultura organizacional de uma empresa

Os maiores desafios quando falamos sobre cultura organizacional é criarem valores, visões e crenças que reflitam de fato os reais anseios dos funcionários. Afinal são essas definições que estabelecerão o perfil dos funcionários da sua empresa.

Sabemos que definir a cultura não é algo fácil, sendo assim é necessário escolher quais elementos fazem sentido para sua empresa alcançar resultados.

Vale lembrar que a cultura de uma empresa é mutável, ou seja, ela está sendo moldada constantemente, cada colaborador que entra agrega algum elemento a cultura de uma empresa, mas quem ditará para onde a organização está indo, são as pessoas com maior influência.

Para criar uma cultura organizacional forte não basta ter as pessoas certas no papel de influenciadores, um dos papéis fundamentais para isso é criar uma base inicial como visão, missão e valores, para dar direção ao time.

Qual a diferença entre cultura organizacional e clima organizacional?

Por mais que ambos pareçam similares, eles têm significados diferentes. A cultura organizacional é o conjunto de diretrizes para que o colaborador compreenda os hábitos e condutas esperadas pela empresa, assim como os valores e propósitos.

Diferente do clima organizacional  que está relacionado ao ambiente de trabalho e como cada profissional se sente sobre as condições oferecidas pelo empregador. Este conceito diz respeito à satisfação do colaborador sobre seu posto de trabalho, equipamentos e como se sente na interação com seus colegas, por exemplo.

O clima organizacional pode ser avaliado como positivo ou negativo, pois o profissional pode fazer essa análise de acordo com o que vivencia no dia a dia da jornada de trabalho. Vale destacar ainda que, em tempos de home office, o clima organizacional continua sendo importante, pois o colaborador vai analisar as condições e a forma como a empresa se posiciona em relação ao trabalho remoto. 

A principal diferença entre cultura e clima organizacional, entretanto, é que o segundo pode ser alterado para recuperar a motivação dos colaboradores. Para isso, é possível realizar pesquisas para entender as insatisfações e o que os profissionais acreditam que pode impactar positivamente no clima do ambiente de trabalho, na motivação e produtividade.

Quais são os 4 tipos de cultura organizacional?

Não existe uma única forma de classificar a cultura organizacional. A divisão mais conhecida é a dada pelo autor e filósofo, Charles Handy. Com ela, você pode encontrar quatro tipos de cultura organizacional.

1. Cultura de poder

O que é? São empresas focadas na geração de resultados, em que os colaboradores são estimulados a competirem entre si para atingir os objetivos. Na cultura de poder, as decisões estão centradas em uma liderança.

As culturas de poder ocorrem principalmente em empresas pequenas— em que a figura do dono é muito forte e acumula diversas funções. Não à toa, você verá esse tipo frequentemente associado à cultura de clube— o mais importante é compor a rede de influência do chefe.

Apesar de demonstrar uma hierarquia clara e bem definida, o tipo limita o crescimento e desenvolvimento dos colaboradores e da própria empresa. Uma gestão que pouco delega tem braços curtos.

2. Cultura de tarefas

O que é? Empresas com essa cultura contam com profissionais específicos para cada tarefa. Isso contribui para o desempenho mais efetivo e eficaz de suas atividades, extraindo o máximo do seu potencial.

Nesse ambiente há liberdade para a expressão de ideias e de ações. Dessa forma, os colaboradores se sentem mais motivados e estão focados na resolução dos problemas.

A desvantagem do modelo é a dificuldade de controle e monitoramento. Não haverá alguém “em cima” do colaborador para garantir o sucesso das atividades.

3. Cultura de pessoas

O que é? As empresas que adotam uma cultura centrada nas pessoas valorizam os seus colaboradores. Com isso, eles têm espaço para crescer e se desenvolver dentro e fora da empresa. Têm suas opiniões ouvidas e respeitadas, o que contribui com o crescimento da própria empresa.

Esse tipo de cultura tende a atrair e reter talentos, logo, é uma fonte de vantagem competitiva. Tudo isso é fruto de uma boa proposta de valor para o funcionário, com respeito a qualidade de vida no trabalho e políticas de incentivo, por exemplo.

4. Cultura de papéis

Essa cultura foca nos papéis desempenhados pelos membros da empresa. Ou seja, as estruturas hierárquicas são bem definidas. Isso impede a flexibilidade das tarefas, já que a pessoa deve apenas realizar o que foi determinado.

O modelo também é fortemente orientado por regras. Os profissionais já têm clareza quanto ao que devem fazer. O lado negativo é que não haverá muito espaço para mudanças nem inovações, afetando o crescimento da empresa.

Saber identificar a cultura corporativa é essencial, pois os valores e crenças determinam as escolhas. Isto é, a adequação ao perfil da empresa será um critério relevante em avaliações de desempenho, processos de seleção e sistemas de recompensa.

Boas práticas para facilitar a compreensão da cultura na organização

Logo abaixo, você encontrará dicas práticas para construir uma cultura organizacional em uma empresa.

Encontre as pessoas certas

Sua empresa não vai conseguir fazer uma pessoa vestir a camisa e dar o sangue caso ela não queira. Isso significa que o esforço de recrutar a pessoa certa para que ela tenha o máximo de desempenho na empresa é fundamental.

diversas pessoas sorrindo

Então, o melhor é já se preocupar lá no início. É fundamental que o recrutamento seja feito de forma muito estruturada para identificar as pessoas com maior compatibilidade com a empresa e isso não impactar em futuros custos.

Utilize o fit cultural como critério de seleção

Colaboradores e candidatos sempre apresentarão certos níveis de compatibilidade com as crenças e comportamentos pretendidos pela organização. Logo, é possível selecionar a melhor opção em relação ao ajuste com a cultura organizacional de uma empresa.

A cultura organizacional funciona como uma “seleção natural” dentro da empresa. Profissionais que não estejam alinhados com ela precisam se adaptar ou acabam ficando desconfortáveis e deslocados, o que impacta diretamente no turnover.

O fit cultural deve pesar na avaliação de desempenho, seleção de pessoas e distribuição de recompensas.

Compartilhe a missão, visão e valores

A missão, visão e valores da empresa, assim como seus objetivos, são importantes para definir o norte da empresa e aumentar o engajamento dos colaboradores. É preciso ter clareza desses fatores para poder mostrá-los internamente.

Quando os funcionários conhecem esses princípios e estão de acordo com eles, trabalham juntos para alcançá-los, pois sabem que trarão benefícios para todos. Aqui entra um bom trabalho de motivação.

Divulgue as regras expressas

Algumas regras na empresa precisam ser expressas. É o caso das regras de uso da cozinha, por exemplo. São, em muitos casos, normas simples, mas que contribuem para uma maior fluidez e conforto no ambiente de trabalho. Caso, por exemplo, sua empresa valorize uma liderança transparente, não basta comunicar esse valor dessa forma, é importante dar clareza sobre o que significa “transparência” e o que se espera disso.

Não se esqueça de divulgar estas regras, especialmente para novos funcionários. Elas precisam ser lembradas, e é interessante ter sistemas de recompensa, caso sejam seguidas, e advertência, caso contrário.

Cultive as regras implícitas

Estas regras são um pouco mais delicadas. Elas tratam de comportamentos adotados pelos funcionários, mas que não estão previstos em contratos, papéis e murais. É o caso, por exemplo, de uma empresa em que a noção de equipe é muito forte.

A cultura organizacional dá aos membros de uma empresa uma identidade, facilita o comportamento coletivo, encoraja a integração e cooperação entre as pessoas e ajuda a dar sentido às suas ações internas.

O papel do líder na cultura organizacional

O profissional é influenciado consciente e inconscientemente pela cultura organizacional.

homem realizando anotações

Os elementos da cultura criam critérios ou padrões para avaliação da performance ao nível individual e coletivo.

Toda essa situação é estabelecida pelo papel da liderança na cultura organizacional. São eles que iniciam todo o processo de instalação e reconhecimento da cultura organizacional. É a partir de suas ações e decisões que os colaboradores passam a fazer parte de um grupo alinhado, que reconhece os valores da empresa.

É o líder quem mantém a cultura corporativa sempre ativa. A partir de suas ações e práticas, ele demonstra para os funcionários quais são os principais pontos a serem trabalhados, mantendo sempre o clima organizacional alinhado à cultura.

Vale ressaltar que existem diferentes momentos dentro de um processo de desenvolvimento e aplicação de uma cultura organizacional. No início, a liderança atua refinando a cultura. Conforme há um avanço dentro desse processo, o líder então é o responsável pela aplicação e continuidade do projeto.

Exemplos de cultura organizacional de grandes empresas

Magazine Luiza

A empresa de varejo Magazine Luiza é conhecida como um dos cases de maior sucesso do Brasil. Com começo de operação em 1957, no interior de São Paulo, essa rede passou por diversos momentos, até que em 1991 iniciou uma nova fase.

Sua forma de gestão inovou, quebrando com o modelo departamental e instaurando uma forma horizontalizada de agir. Além disso, a cultura organizacional do Magazine Luiza é conhecida por todos os funcionários.

O sucesso da varejista é tamanho que merece destaque internacional, com estudo realizado por Harvard. Tudo isso atribuído a cultura organizacional, que foca nas pessoas. Os funcionários são engajados, resultado de uma política constante de reafirmação dos valores da empresa.

Para garantir o sucesso, o Magazine Luiza busca desde o processo seletivo inserir seus valores, alinhando a contratação com o perfil de colaboradores ideais.

Google

O sonho de muitos profissionais é trabalhar na Google, afinal a empresa é um dos exemplos de cultura organizacional mais fortalecida do mercado, servindo de referência em gestão de pessoas para diversas empresas e startups.

Os “Googlers”, nome dado aos funcionários da empresa, geralmente são seduzidos pelo ambiente descontraído, criativo e de descompressão que a Google possui.

Não podemos esquecer que as refeições gratuitas, viagens, festas, premiações, e outra série de benefícios são outros motivos que tornam a empresa uma referência em cultura bem sucedida e centrada no bem-estar dos funcionários.

A Google é o exemplo de empresa que acredita que a motivação dos funcionários está diretamente ligada ao sucesso da empresa. Dessa forma, ela investe sempre no bem estar e estratégias motivacionais para seus colaboradores.

Mas nem tudo são são flores, a Google também é conhecida por ter um processo seletivo muito meticuloso, afinal seus funcionários são conhecidos por serem os “melhores dos melhores”.

Mas como será que a Google tornou-se um sucesso em cultura organizacional?

Vamos ver alguns dos elementos da cultura que a empresa adotou e que pode tê-la tornado uma referência sobre o tema?

Dentro dos  pilares da cultura organizacional da Google, estão:

  • Processos seletivos meticulosos, com a intenção de formar uma base de colaboradores inovadora e alinhada aos valores do organização;
  • Análise de dados coletados pelo RH para potencializar a performance dos funcionários;
  • Criação de uma ambiente casual e democrático, com espaço para ideias e valorização de hierarquia horizontal;
  • Clareza quando a missão e valores da empresa, valorizando a transparência no relacionamento com os colaboradores;
  • Reconhecimento da contribuição de cada indivíduo dentro da empresa.

Deu para perceber que os conceitos mais importantes da cultura estão alinhados com uma abordagem em que os funcionários são a parte mais importante da empresa.

Netflix

A Netflix é outra empresa referência do mercado quando falamos sobre cultura organizacional focada nos funcionários.

O Reed Hastings, cofundador da empresa, publicou no Linkedin uma apresentação sobre a cultura organizacional da empresa. O documento leva o título de “Cultura Netflix: Liberdade e Responsabilidade”, o documento já ultrapassou 18 mil visualizações na plataforma.

O documento prega a importância de manter os processos e condutas flexíveis a fim de evitar gastos desnecessários com controles excessivos.

A Netflix é conhecida por dar muita atenção à capacidade do seus funcionários em responder pelos atos, assumir responsabilidades e coordenar suas tarefas da maneira que acharem correta e que atenda às expectativas da empresa.

Como o controle de jornada se insere na cultura organizacional

Até agora falamos sobre os benefícios de se trabalhar uma cultura organizacional, os diversos tipos e até mesmo vimos alguns casos de sucesso.

Teste grátis marq ponto

Entre os casos de sucesso, citei empresas que adotaram culturas organizacionais focadas em seus colaboradores e criaram ambientes mais descontraídos com jornadas flexíveis.

Mas poucos ouvimos falar sobre como essas empresas se relacionam com a legislação  quando adotam posturas mais flexíveis, principalmente quando estamos falando sobre o controle de jornada.

A Consolidação de Leis de Trabalho determina que estabelecimentos com mais de 10 colaboradores adotem um sistema de controle de ponto eletrônico.

Mas agora eu te pergunto como essas empresas fazem para gerenciar todos os horários de trabalho?

A resposta é mais simples do que você imagina, elas utilizam tecnologia não apenas para controlar as jornadas dos colaboradores, mas também para ajudá-las a gerenciar a cultura organizacional e a motivação das equipes.

Imagino que você deve estar pensando que para isso elas adotam diversas ferramentas. Mas preciso te dizer que sistemas de controle de ponto como a marQ possuem todas essas funcionalidades em um único lugar.

Nesse momento imagino que você deve estar com uma grande interrogação na mente se perguntando se isso é realmente possível. Então quero te dizer que sim, isso é muito possível.

O é o melhor sistema de controle e gestão de ponto que tem auxiliado diversas empresas no gerenciamento das equipes.

Quer saber mais como funciona, então comece hoje mesmo o teste grátis por 7 dias!

solução marq ponto

Nós ajudamos empresas a desburocratizar os processos de gestão de pessoas e tempo, e devolvemos horas para o RH usar no que realmente importa

Veja também

Fuja das multas trabalhistas com o controle de ponto!

23/05/2024

6 razões para utilizar o ponto online na gestão da empresa

23/05/2024

Bater Ponto: O Ritmo da Produtividade!

21/05/2024