Entrevista de desligamento: Como fazer?

Apesar de não ser obrigatória, a entrevista de desligamento traz uma série de benefícios para a organização que adota essa cultura na empresa

Entrevista de desligamento - MarQPonto

Apesar de trazer grandes benefícios para as empresas, nem todas conhecem ou realizam a entrevista de desligamento. Essa é uma oportunidade para identificar quais estão sendo os principais motivos da rotatividade de funcionários em uma organização. Além do mais, demonstra um cuidado com a sua equipe de trabalho.

O que é a entrevista de desligamento?

A entrevista de desligamento não é um simples bate-papo, mas funciona como uma conversa formal com aquele colaborador que está deixando a empresa. Ou seja, é uma maneira de identificar possíveis falhas dentro da organização que estão prejudicando a retenção de talentos.

Tenha em mente que esse é o primeiro passo para definir estratégias de redução do turnover. Se o funcionário está sendo desligado da empresa de forma involuntária, é preciso identificar nessa conversa quais foram os motivos que levaram ele a ser demitido. Será a baixa produtividade? As relações internas? A crise financeira?

Mas se o colaborador foi quem fez o pedido de demissão, são outros os motivos do desligamento. Aliás, todos são bem graves, levando em conta que a empresa deixa de ter alguém experiente na função. Portanto, é hora de perguntar-se: O ambiente está ruim? Os benefícios não são tão atrativos? Qual é o real motivo? 

O que identificar na entrevista de desligamento?

Quando uma demissão ocorre dentro da organização, é normal ter dúvidas sobre como e por que aquela situação ocorreu. Fazer essa entrevista é uma forma de cuidado com aquele que está saindo e com os atuais funcionários, que percebem que a empresa realmente está preocupada com o bem-estar de todos.

Afinal, sabe aqueles relatórios que você cria com a troca de feedbacks constantes, com o One-On-One e com os indicadores de desempenho? A entrevista de desligamento também traz várias respostas no que diz respeito aos benefícios, ao salários, a progressão de carreira, ao treinamento, clima, equipe e gestores.

Diferente do que muitos imaginam, a liderança tem ligação direta com a retenção de talentos. Em 2019, a equipe da Michael Page apontou que 8 em cada 10 profissionais pedem demissão por causa dos seus chefes. Isso porque o nível de motivação afeta a produtividade, o desempenho e a satisfação do funcionário.

Portanto, essa prática identifica qual é a visão do ex-funcionário sobre a empresa. Ou seja, após você comparar com outras entrevistas de desligamento é possível pensar em estratégias futuras de retenção. Mas atenção, é importante definir o momento certo para que a conversa não seja afetada pelo calor do momento. 

Qual é o momento certo para realizar a entrevista?

Não faz sentido realizar a entrevista de desligamento no momento do pedido ou comunicado de demissão, é preciso fazer um agendamento de maneira formal. Ou seja, da mesma forma que você cria um roteiro para realizar uma entrevista de admissão, é preciso planejar-se para esse momento também.

O primeiro passo é observar como o funcionário reagiu à demissão. Depois, converse com o gestor imediato e faça a análise de como estava o desempenho do colaborador. Peça relatórios de rotatividade do cargo, para ter ideia se o problema pode estar ali. Depois, analise como estava o desempenho do colaborador. 

Enquanto isso, outras etapas do processo de demissão podem ser encaminhados: o exame demissional, a rescisão do contrato, o cálculo da rescisão, o pagamento das verbas rescisórias e a baixa na carteira de trabalho. Um bom momento para a conversa é quando o ex-funcionário leva os documentos do desligamento. 

A entrevista de desligamento é obrigatória?

A entrevista de desligamento não está prevista na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Ou seja, não pode ser considerada obrigatória. Por isso, é importante criar uma cultura dentro da própria empresa de que esse processo é normal e importante para o desenvolvimento da organização. 

Portanto, na hora de realizar o convite para a entrevista, deixe claro que esse não é um momento de julgamento. Ao contrário, é o momento de ouvir tudo aquilo que o ex-funcionário tem a dizer. O profissional de RH não deve tentar rebater os argumentos do profissional, mas sim ouvir os possíveis erros da empresa.

Benefícios da entrevista de desligamento

img-marqponto

Conforme indicado desde o início deste artigo, a entrevista de desligamento traz vários benefícios para a organização. Saiba quais são os principais:

Ameniza possíveis desconfortos

Quando o funcionário pede demissão, essa é sempre uma boa oportunidade para deixar as portas abertas. Agora, se o colaborador foi demitido, essa é uma boa forma de mostrar que não trata-se de uma questão pessoal, mas sim profissional.

Além disso, é natural que esse ex-funcionário tenha criado relacionamentos dentro do ambiente de trabalho. Então, o desligamento de forma amigável diminui os impactos emocionais dos colaboradores que permanecem. 

Cuida da imagem da empresa

É possível afirmar que as primeiras semanas de entrada e saída do funcionário são as que ele mais tende a falar sobre a empresa. Aliás, está ocorrendo uma mudança significativa na rotina dele.

Quando você encerra esse ciclo de forma amigável, permite que ele mantenha uma boa imagem da organização que ele fez parte. Assim, pode até indicar um amigo para a vaga que agora está aberta.

Redução do turnover

Depois de coletar os dados da entrevista, você terá mais chances de reter os talentos da sua empresa. Isso porque poderá achar um padrão de queixas, que com a estratégia certa podem ser resolvidos. Assim, existirá uma queda do turnover.

O que perguntar na entrevista de desligamento?

Equipe de trabalho - MarQPonto Roteiro de entrevista - MarQPonto

Parece óbvio, mas cada entrevista terá uma abordagem diferente, de acordo com os dados coletados sobre a vaga e relatos do gestor. Ainda assim, algumas perguntas podem funcionar para mais de um funcionário. São elas:

  1. Você acha que a estrutura do seu cargo está bem definida?
  2. Como era o relacionamento com os colegas? Pretende manter contato?
  3. O seu ex-gestor delega bem as funções?
  4. Que melhorias você acha que a empresa tem que promover?
  5. A estrutura física é adequada para que os funcionários trabalhem bem?
  6. Você enxergava a possibilidade de crescimento na organização?
  7. Por qual motivo você acredita que aconteceu o desligamento?
  8. Como você avalia o trabalho feito pelo Recursos Humanos?
  9. Você se sentiu valorizado enquanto esteve aqui?
  10. Você considera que cresceu profissionalmente na organização?

Lembre-se que a entrevista não deve ser engessada. Ou seja, se enxergar a necessidade de encaixar novas perguntas, faça isso. Além do mais, de nada adianta o colaborador responder “sim” ou “não”. Precisa ser um verdadeiro diálogo, de forma que ele exponha seus pensamentos e sentimentos sobre a empresa.

Sem tempo para fazer a entrevista de desligamento?

Se você gostou da ideia, mas considera que não tem tempo para realizar a entrevista de desligamento, é sinal de que provavelmente está sobrecarregado. Eu costumo dizer que o recurso mais valioso de uma empresa são os colaboradores, por isso, esse deve ser o seu foco de atuação.

Para isso, identifique aquilo que tem tomado o seu tempo e automatize esses processos que são mecânicos. Uma das coisas que mais tomam tempo do gestor de Recursos Humanos é o registro e gestão de ponto. Por isso, quero te apresentar a MarQPonto, uma empresa de controle de ponto eletrônico.

Com ela, você vai reduzir em 80% o tempo de fechamento da folha de ponto. Além disso, é uma ótima ferramenta para quem está preocupado com a sobrecarga de trabalho dos colaboradores. Aproveite para testar grátis o nosso sistema e, se preferir, converse com a nossa equipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *