Controle de ponto para hospitais: Qual a solução?

O controle de ponto para hospitais deve comportar diferentes escalas de trabalho 

Controle de ponto para hospitais

Para toda população é clara a necessidade do funcionamento dos hospitais durante 24 horas por dia, aos 7 dias da semana. Ainda assim, tanto para a gestão pública quanto para a iniciativa privada, é um grande desafio organizar as diferentes escalas de trabalho que englobam esse nicho de mercado.

Para que o hospital funcione da melhor forma, existem funcionários de diferentes áreas atuando constantemente: médicos, enfermeiros anestesistas, instrumentistas, faxineiros, cozinheiros, recepcionistas e uma administração impecável. Ou seja, um monte de escalas variáveis que precisam ser organizadas e bem controladas.

Qual a importância do controle de ponto para hospitais?

O controle de ponto é peça fundamental para que a população seja bem atendida. Não há nada pior do que existir uma emergência médica e, ao contrário do esperado, o atendimento ao cliente ser demorado. Normalmente, isso é resultado da ausência de um profissional no local ou de funcionários sobrecarregados. 

Você sabia que se algum profissional da saúde fica doente ou tem um imprevisto, os médicos plantonistas são acionados? Esse profissional fica à disposição do hospital e, somente quando necessário, é acionado. Ou seja, ele não possui uma escala de trabalho fixa, mas normalmente trabalha por 12 horas. 

Esse é apenas um dos exemplos dos diversos turnos dos trabalhadores da saúde, que possuem escalas flexíveis. Nesse caso, o controle de ponto é essencial para que não fiquem postos de trabalho descobertos ou profissionais sobrecarregados. Além disso, contribui para o cálculo de horas extras e dos adicionais noturnos.

Impacto financeiro do controle de ponto para hospitais

Em geral, os recursos financeiros dos hospitais são bem limitados. Normalmente, a folha de pagamento representa 60% dos custos desses estabelecimentos. Ou seja, é preciso controlar bem as horas extras dos colaboradores, já que o excesso delas pode comprometer a saúde financeira do hospital.

Além disso, com tantas escalas de trabalho diferentes, torna-se mais difícil conseguir acompanhar a jornada de trabalho dos funcionários e fazer o cálculo manual das horas trabalhadas. Por isso, nesses casos, é recomendado o uso de um controle de ponto eletrônico

Controle de ponto é obrigatório para hospitais?

Diferente de um escritório médico, que não possui tantos profissionais atuando no mesmo local, os hospitais necessitam do controle de ponto. Isso porque o Artigo 74 § 2 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) determina que o estabelecimento que possui mais de vinte funcionários tenha o controle de ponto como obrigação.

O controle de ponto no serviço público também avançou no processo de registro de jornada dos funcionários, por reconhecer que os outros meios não estavam sendo efetivos. Portanto, o Governo Federal instituiu o controle de ponto eletrônico para os servidores públicos da União, respaldado pelo Projeto de Lei 544/19.

Jornadas de trabalho dos hospitais

Dentro dos hospitais, cada categoria trabalhista possui um limite diferente de horas de trabalho. Ou seja, é preciso seguir o que determina a CLT e o seu vínculo empregatício. Os profissionais de saúde que atuam em mais de um hospital tem a sua jornada de trabalho limitada a seis horas por dia em cada estabelecimento.

Conheça as principais jornadas de trabalho dos hospitais:

  • Jornada comum: 8 horas por dia e 44 horas semanais.
  • Médicos em turno ininterrupto de revezamento: 6 horas por dia.
  • Escala 12×36: Funcionário trabalha por 12 horas e descansa por 36 horas.
  • Plantonistas: Normalmente, a jornada é de 12 horas por dia.
  • Escala 6×1: Colaborador trabalha durante 6 dias e folga 1.
  • Escala 5×1: Profissional trabalha 7 horas e 20 minutos durante 5 dias e folga 1.

Cálculos adicionais dos hospitais

Assim como os demais trabalhadores, os funcionários dos hospitais também possuem direito ao adicional noturno e as horas extras. O que muda nesses casos, é que existem Acordos e Convenções Coletivas de Trabalho que podem estabelecer mudanças no adicional de horas extras.  

Em compensação, plantonistas e profissionais da jornada 12×36 não podem realizar horas extras. Exatamente para que não sejam sobrecarregados e, portanto, sejam evitados erros médicos. Aliás, os plantonistas devem estar previstos em acordo coletivo. Do contrário, a partir da oitava hora será contabilizada hora extra.

Mudanças nos hospitais com a Reforma Trabalhista

Com a Reforma Trabalhista, atividades de alimentação, descanso, higiene pessoal e troca de uniformes dos hospitais deixaram de ser contadas como jornada de trabalho dos profissionais. Para essas atividades, está estabelecido um intervalo de ao menos 30 minutos. Antes da reforma, esse intervalo era de 1 ou 2 horas.

Utilize o controle de ponto eletrônico nos hospitais

Com o controle de ponto eletrônico da MarQPonto, a sua equipe economiza o tempo de deslocamento e não precisa mais registrar o ponto em um local fixo. Ou seja, o registro é feito pelo ponto web, pelo aplicativo ou pelo tablet. Uma das principais vantagens desse modelo é a possibilidade do controle em tempo real.

Além disso, o sistema permite que você programe as diferentes escalas de trabalho, de acordo com a necessidade do seu hospital. Para uma maior segurança, você pode optar pelo registro por reconhecimento facial, uma funcionalidade bem utilizada pelos clientes da MarQPonto desse nicho de mercado.

Recentemente, aprimorando o sistema para os hospitais, lançamos uma nova funcionalidade. Agora, você pode marcar a opção de entrada, saída de intervalo, volta de intervalo e saída do turno. Assim, o dia do seu funcionário somente é encerrado quando ele marcar a saída do turno.

Quer começar agora a administrar melhor o tempo e a jornada dos funcionários do seu hospital? Faça o nosso teste grátis. Se preferir, você pode entrar em contato com a nossa equipe para tirar dúvidas e falar sobre as diferenças das escalas de trabalho desses trabalhadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *