Competências profissionais mais requisitadas pelas empresas

Quando uma empresa busca por talentos para completar seu time, ela analisa as competências profissionais de cada indivíduo. Porém, há diversas habilidades e comportamentos que formam um bom colaborador.

competências

Por isso, é importante que o gestor de RH avalie essas competências para selecionar os candidatos ideais para a organização. Afinal, é preciso garantir que o profissional irá se adequar ao seu cargo.

Geralmente, essas características também são chamadas de hard skills e soft skills. Portanto, tratam-se de diferenciais apresentados por cada profissional. A partir delas, é possível realizar a avaliação de um colaborador de forma mais acertada.

Essas competências são mais difíceis de definir e medir, mas são elas que ajudam o profissional a interagir com outras pessoas no local de trabalho.

O que são competências profissionais?

De um modo geral, a descrição de competências profissionais está relacionada à capacidade que uma pessoa tem de executar determinada tarefa. Isso quer dizer que ela está diretamente ligada aos termos, como: aptidão, habilidade e qualificação.

Contudo, mais especificamente, essas competências podem ser definidas como a soma de conhecimentos, habilidades e qualidades que um colaborador adquire ao longo da sua jornada profissional ou até mesmo a vida acadêmica.

Portanto, trata-se da capacidade que este funcionário tem de desenvolver determinadas atividades com base em suas qualificações e experiências de vida, além dos cursos e graduações, podendo assim, atender às necessidades empresariais do mercado.

Por isso, as competências profissionais são habilidades relacionadas com a rotina no mercado de trabalho. Aproveite para conhecer também como é atual geração Z no mercado de trabalho.

As qualificações adquiridas na faculdade, assim como as experiências vividas ainda durante os estudos, nos estágios e empregos fazem parte dessas competências.

Qual a diferença entre competências profissionais e habilidades?

Ao contrário do que as pessoas pensam, habilidades e competências profissionais têm suas diferenças e elas são muito importantes e precisam ser levadas em consideração.

Competências são características que podem ser desenvolvidas por meio de treinamento ou experiências. Ou seja, elas podem ser ensinadas e aprendidas com o tempo.

Já as habilidades, por outro lado, são qualidades que o profissional tem para fazer alguma coisa, algo natural. São aquelas características que podem ajudar um funcionário a desenvolver determinadas funções do dia a dia da companhia.

A diferença não é grande e às vezes não pode ser notada logo de cara, mas a linha que separa uma da outra é que enquanto a competência pode ser aprendida, a habilidade geralmente é algo individual de cada profissional.

Logo, as competências são um conjunto de habilidades e conhecimentos relacionados, que podem ser desenvolvidos por meio de treinamentos ou experiências, e possibilitam a atuação efetiva em um trabalho ou situação.

Enquanto as habilidades são qualidades que o colaborador tem para realizar alguma atividade com que tem afinidade ou facilidade.

Quais são as competências profissionais mais exigidas atualmente?

Realizamos uma lista de competências técnicas já não é mais o suficiente para a construção de uma equipe de sucesso. Pensando nisso, as companhias estão buscando cada vez mais competências específicas.

Veja alguns exemplos de competências profissionais:

1. Trabalho em equipe

O Trabalho em equipe é essencial, e os gestores de RH devem analisar é a capacidade de trabalhar em equipe dos colaboradores. Essa habilidade é uma das mais procuradas pelas empresas.

No entanto, essa é uma característica delicada, porque envolve o posicionamento — muitas vezes divergentes — e a aceitação de ideias. Portanto, além do indivíduo demonstrar atividades de cooperação, parceria, respeito e valorização, é preciso apresentar habilidades de liderança quando necessário.

Geralmente, quando a equipe se reúne para alcançar os objetivos e metas, nenhum membro se sobrecarrega. Com isso, o trabalho se torna mais produtivo e as chances de sucesso são maiores.

Portanto, é importante que as organizações apliquem uma boa gestão de pessoas a fim de contratar talentos que gerem resultados e estabeleçam relações de parceria e crescimento entre si.

2. Flexibilidade

Ser flexível é uma característica que destaca muitos colaboradores do restante do time. Essa habilidade pode ser desenvolvida diariamente. Por exemplo, em situações de pressão, conflitos ou desafios em que o profissional pode fazer toda a diferença ao ter flexibilidade.

Geralmente, as pessoas que precisam lidar com imprevistos e contornar momentos de crise, além de serem flexíveis, são proativas.

Portanto, os indivíduos que tem essa competência profissional não têm medo de mudança. Eles são capazes de se adaptar a essa situação, além de serem bastantes autoconfiantes.

Além disso, sabemos que as transformações são comuns no mundo corporativo. Logo, os funcionários flexíveis são mais requisitados pelas empresas. Isso porque no mercado atual não há espaço para aqueles que desistem de seus objetivos na primeira dificuldade.

Nesse momento, é fundamental se adaptar às adversidades e enxergar os problemas como oportunidades para crescer e aprender. Essa atitude é interessante tanto para os gestores quanto para o próprio profissional, que conquistará mais espaço e aumentará suas chances de sucesso.

3. Aceitar feedback

feed back

Quem consegue não apenas aceitar um feedback, mas também aplicar o que ouviu para promover seu desenvolvimento profissional tende a evoluir na carreira e, claro, também ajudar a empresa a atingir seus objetivos.

4. Autoconfiança

Os profissionais com autoconfiança têm a consciência de seu valor pessoal e conhecem suas competências. Isso pode inspirar os colegas, chefes e outros colaboradores. Além disso, esses indivíduos são capazes de respeitar, confiar e acreditar em si próprios.

Essa habilidade profissional também envolve propor novas ideias e aceitar desafios no trabalho, o que pode trazer benefícios para a organização.

Sendo assim, a autoconfiança significa que o funcionário acredita em seu potencial, seja de alcançar metas e objetivos, de mudar e transformar sua realidade ou de tornar quem deseja ser.

5.Inteligência emocional

A inteligência emocional é um fator importante nas relações profissionais. Isso porque, com mercado de trabalho sendo cada vez mais competitivo e desafiador, as empresas precisam de colaboradores que saibam manter o equilíbrio e não deixem que os problemas interfiram nas suas atividades.

A maneira com que um profissional se relaciona e reage às situações do dia a dia é determinante no mundo corporativo e no mercado de trabalho em geral, ainda mais em funções de gestão.

Falando em gestão conheça a MarQ nosso sistema de controle de ponto digital permite que sua empresa diminua em 90% a quantidade de horas dedicadas a gestão e controle de ponto. Com isso, seu time pode se dedicar mais a outras funções.

6. Pensamento criativo

Essa competência profissional pode ser avaliada pelos gestores no momento do recrutamento e seleção de candidatos. Ela trata-se da capacidade do indivíduo de encontrar soluções para os processos da empresa.

Por isso, é importante que os candidatos sejam criativos e capazes de impulsionar inovações e aumentar a eficiência das tarefas. Isso é muito valorizado pelas empresas e pode ser um diferencial no processo seletivo.

Uma dica para os gestores é realizar uma dinâmica de grupo criativa, que tem o intuito de analisar o potencial criativo dos talentos e observar qual é o papel de cada um na resolução das questões propostas.

Habilidades podem ser adquiridas?

Como já dissemos antes, habilidade é uma capacidade aprendida, por meio de treinamento ou experiências, para obter um resultado desejado ou realizar funções de trabalho ou de vida.

A habilidade é adquirida através de muito esforço. Isso significa que, para realizar atividades ou funções envolvendo ideias (habilidades cognitivas), objetos (habilidades técnicas) ou pessoas (habilidades interpessoais), tem sempre que aprender e treinar.

Por isso, sim. Habilidades podem ser adquiridas com o tempo e com as experiências do dia a dia, além dos cursos, estágios, graduações, etc.

Conclusão

Neste artigo, explicamos o que são as competências profissionais, como elas funcionam na prática, mostramos quais são as mais requisitadas atualmente no mercado de trabalho e também como estimular isso nos colaboradores de sua companhia.

Então, como pudemos ver, as competências profissionais e as habilidades andam lado a lado. Por isso, é fundamental que as empresas invistam em uma boa comunicação com os seus funcionários, além de bons cursos e treinamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *